The Chrono Logic

A par dos Skinny Puppy e Young Gods, Curve faz parte do meu trio pessoal de bandas favoritas e de culto. A banda inglesa nos últimos tempos estava centrada no núcleo formado pela carismática vocalista Toni Halliday e pelo talentoso Dean Garcia, responsável pela maior parte da componente musical da banda nesta altura.

Com o encerramento oficial das actividades dos Curve em 2005, muitos fãs, eu incluído, sentiram um certo vazio e tristeza posterior, apesar do final da banda ser esperado visto que nunca tiveram muito sucesso após mais de 15 anos de actividade, remetidos até para uma certa obscuridade nos últimos anos, o que até hoje ainda me faz extrema confusão por achar a música dos Curve acessível. Nem a presença da excelente faixa Hell Above Water num dos trailers de Spider-Man ou o uso da Chinese Burn por parte da Sony numa publicidade ajudaram a mudar o destino ingrato da banda. Estranho definitivamente, mas ao menos fica a música que, gostos aparte, no que me toca marcou-me profundamente.

Chegados em 2007, numa altura em que o meu hobby de meter música, aka djing (como é da praxe chamar-se), está a ficar cada vez mais sério e frequente no meu dia a dia, foi altura de fazer uma descoberta nas minhas buscas regulares de sites e escutas de som que possa curtir, ou que funcione de alguma maneira nas sessões que faço.

Numa dessas ocasiões decidi investigar o que andava a fazer Dean Garcia, visto que sempre teve vários projectos, e um deles despertou-me a atenção, a tal ponto que fiquei ultra viciado e tive de contactar a banda.

The Chrono Logic é um projecto de música electrónica altamente subversivo, pelo menos na minha opinião, que vai precisamente de encontro a muita da minha filosofia neste campo, de misturar sonoridades, de não aceitar que certos tipos de som só se possam desfrutar em certos tipos de locais, em contextos pré-determinados, e por aí adiante.

Um dos aspectos que marca este projecto é o uso das vozes, tanto masculina como feminina, em conjunto com os ritmos e tapetes sonoros que tanto podem ir do electro como ao trance de contornos progressivos, com a mistura a ser um prazer para os ouvidos, agradando a um vasto núcleo de pessoas diferentes devido aos resultados finais. As vozes são calmas e melódicas, encaixando que nem uma luva nos ritmos electrónicos empregues, que prometem fazer abanar qualquer corpo, seja numa pista de dança como em casa.

O resultado é tão bom que considero este projecto das cenas mais viciantes que ouvi ultimamente no campo da electrónica, fazendo-me confusão como a banda ainda não tem editora, ao contrário de tanta coisa que por aí ainda. Muitos dos temas têm tudo para serem potenciais hits em clubes, e não só, com destaque para o tema All You Know/Right For You (nome varia consoante a versão da faixa), que até a minha mãe um dia me perguntou de quem era a faixa em causa porque curtiu dela, o que foi bem estranho porque não costuma curtir deste tipo de som. Subversivo indeed.

Até hoje os membros da banda sempre foram muito acessíveis e simpáticos, falando na boa comigo, ao ponto de termos trocado ideias, fora outras coisas, o que é de louvar, não havendo arrogâncias nem manias de nenhuma espécie, apesar de parte dos seus elementos já andarem nestas andanças há duas décadas. Somos todos fãs de música no fundo. :)

Para os interessados, podem ouvir várias faixas deste projecto no site oficial em: http://www.thechronologic.com, ou então no myspace em: http://www.myspace.com/thechronologic. Por agora podem ouvir um tema aqui na rádio ao lado também. :)

2 comentar

Click here for comentar
Mitchell
admin
12 junho, 2008 23:14 ×

I agree...........this stuff is great....and can downloaded for free...for now...60 minutes of pure genius.

Reply
avatar
Azelpds
admin
13 junho, 2008 17:15 ×

Yeah, it was a great gift and thing they did at the end of 2007/start of 2008. I'm still finding weird that they don't have a record label. Many great songs. :)

Reply
avatar