Novos trabalhos: Lusofonia, produtos portugueses e gatos fofos

sexta-feira, Novembro 21, 2014

A labuta continua intensa, o que impede que existam actualizações de forma mais regular neste blogue ou de uma forma geral na minha presença online. Os preparativos e a execução de trabalhos e projectos vários requerem tempo, silêncios e que existam segredos que só podem ser partilhados quando já são uma certeza.

Do que já posso revelar, comecemos pela III Semana da Lusofonia que irá decorrer na Universidade de Pécs, na Hungria. Feito em tempo recorde, o cartaz deste evento é dos que mais me orgulho. Adoro mesmo. As actividades começam na próxima semana e podem ler mais informações aqui.

Budapeste: O cemitério Rákoskeresztúr

segunda-feira, Novembro 17, 2014

Uma hora de viagem, três transportes, a paisagem muda bruscamente à medida que chego às periferias de Budapeste, no distrito X. Nem parece que estou ainda na mesma cidade. Entre paisagens rurais e visões industriais que me recordam, a espaços, o Barreiro, não parece fácil encontrar o meu destino e a música nos ouvidos só me isola ainda mais. A comunicação é quase impossível nesta zona, ninguém fala inglês, eu pouco falo ou percebo de húngaro, os gestos não chegam. Percorro trilhos a pé com fábricas ao meu lado, mas até isso desaparece e deixo de perceber onde posso meter os pés. A estrada, onde passam demasiados carros por curvas que dificultam avistá-los a uma distância segura, não é opção. Persisto.

CANCELADO: O regresso dos djsets no Fontória, em Lisboa

terça-feira, Novembro 11, 2014

"CANCELADO/CANCELLED
Para quem estivesse eventualmente interessado, informo que isto foi cancelado. Aparentemente a casa passou a ter só eventos ao fim-de-semana e decidiu mudar as políticas quanto aos outros dias e esqueceu-se de me informar atempadamente. Mal empregado cartaz portanto."

Após uma pequena pausa na semana passada por razões familiares, as noites a meu cargo no Fontória regressam esta quinta-feira. E para assinalar tal efeméride, nada como um novo cartaz carregado de simbolismos.

As directrizes sonoras continuarão a navegar pelo mar da diversidade, como se o mundo fosse engolido durante umas horas e as fronteiras deixassem de existir. O efeito pode ser perturbador. Impossível de catalogar, a música pede paciência, um palato variado e pouca conversa de circunstância. A infinitude começa logo nestas partilhas, que tanto procuram adocicar os ouvidos como o olhar.


Katharsis: A arte de Zdzisław Beksiński em movimento

terça-feira, Novembro 04, 2014



Katharsis é um filme independente que funciona como tributo ao artista de culto polaco Zdzisław Beksiński e sobre o qual escrevi algumas palavras aqui. Realizado por Artur Filipowicz e com um ambiente bastante negro, é uma interpretação singular de algumas das obras mais "famosas" de Beksiński, em que vemos uma personagem a percorrer as paisagens/mundos do artista e a interagir com algumas das personagens icónicas que marcam presença no seu universo surreal.

São nove minutos claustrofóbicos a não perder.