Tomar | Workshops, Ecos, Sarah Kane e Fotos


Tendo como motivo a participação em alguns workshops, hoje tive oportunidade de visitar o Instituto Politécnico de Tomar, o que se revelou como uma alternativa curiosa ao dia-a-dia, além de que soube bem visitar a região sem ser para fazer algum casamento como tem vindo a acontecer nestes tempos. Apesar do eventual interesse disto, que poderá ficar para outra altura, o dia acabou por me trazer a inspiração para mais umas coisitas, para ler mais umas palavras da Sarah Kane e para tirar umas fotos, que decidi partilhar.



Na Pele

"És um segredo mal guardado, quando estás assim, enfiado nas minhas pernas e agrada-me que tenhas a ousadia de me pedires para ser o teu mundo nestes pequenos minutos de gemidos, nas portas que estremecem com o som do abandono. Quero-te assim, todos os dias, despido e desconcertado, falso como se querem os homens na hora do orgasmo, na pureza desse amo-te que soltas ofegante nos meus ouvidos, fácil de perceber, fácil de sentir, fundo, sem complicações, justo, inteiro, duro e honesto. Que frontalidade, a tua, adoro, até ao útero."

Nuno Almeida, Ecos de Gravidade, 2010



Trinta Anos de Exuberâncias

"Cru, não sei porquê, é uma maneira de definir como te vejo, não queres saber, ages pelo instinto, sentes por impulso, és uma incógnita que me dá prazer. Curvada na mesa da cozinha, registas as compras efectuadas umas horas antes, perdida nos papéis e na tinta pouco visível dos números, exuberante como só uma mulher consegue ser, espelhada nos azulejos que um dia reclamamos como nossos e nas paredes que nos percorriam a pele, de cadeiras tombadas e baloiços amarelos."

Nuno Almeida, Ecos de Gravidade, 2010



Ilustração

"Arranha-me as linhas da vida, sabes que gosto, dos cortes nos tendões, das subtilezas das virilhas e dos arrepios dos dedos a passar ao de leve nas nossas formas, difusas, recusadas na definição conhecida dos livros que nos mostram quando somos pequenos."

Nuno Almeida, Ecos de Gravidade, 2010

2 comentar

Click here for comentar
elsafer
admin
22 abril, 2010 08:37 ×

belíssima composição de palavras e imagem.
o reflexo das cores da natureza nas águas tranquilas de um rio inspiram a proximidade das "cenas" profundas da vida

Reply
avatar
Azelpds
admin
22 abril, 2010 08:44 ×

Obrigado. :)

Ontem acabou por ser uma visita inspiradora nalguns sentidos, gostei do ambiente e de andar um pouco por lá. :)

Reply
avatar