A Morte do Mendigo

«Músculos presos, as correntes, antes invisíveis, mostram finalmente o que os olhos nem sempre deixam ver, o deslumbre de sonhos. Inquietos, dividem-se entre os que devemos deixar passar e os que devemos assumir como nossos, dando lugar a epifanias maravilhosas que nos puxam para dentro de trapos em forma de silêncio.»

Nuno Almeida
Labirintos (port-royal book)

2011

a perversidade dos sonhos
Guardar [MP3, ZIP] Duração [14:45] Data: 26-04-2011

Playlist:
e-mail only

4 comentar

Click here for comentar
elsafer
admin
26 abril, 2011 12:45 ×

as formas da vida que o tempo deixou esconder por debaixo de o ser visível que somos ... essas que nos fazem diferentes

Reply
avatar
Azelpds
admin
26 abril, 2011 12:51 ×

:)

e deixarmos de mendigar e perceber o valor que temos debaixo desse ser, assumindo-o como nosso e que as coisas são assim, deixando de lado alguns sonhos e passados que já não voltam ou que já não fazem parte de nós, mas que teimamos em pensar neles ou em tentar mantê-los vivos.

E já estou a divagar. :p

Reply
avatar
elsafer
admin
26 abril, 2011 12:52 ×

na linguagem de gestão chamar-lhe-ia "posicionamento estratégico" ... mas prefiro dizer pensar que são desafios que nos poderão enriquecer (espero ... pensamento positivo)

Reply
avatar
Azelpds
admin
26 abril, 2011 12:53 ×

Gosto do nome e concordo, assim como o sinto como positivo, já que nos permite seguir em frente e parar de andar às voltas ou preso no que não vale a pena. :)

Reply
avatar