Desvario

"Resignada, deitas-te do lado mais afastado da cama e reconheces que já conhecemos dias melhores, tentando procurar algum significado no branco da parede para onde olhas em silêncio.

Cabelo despenteado, músculos tensos, sentes o frio nas costas, do que se perdeu algures no caminho entre a partilha e o hábito, incomodando-te esta fragilidade de porcelana onde assentava a tua vida até este momento. Por instantes, gostavas que a nossa gravidade fosse zero e não esta ausência de comunicação, cerrando os olhos, enquanto abraças o lençol.

Ao teu lado, tens um estranho, no entanto, ainda se vislumbram alguns sorrisos pelo meio das memórias, mesmo não sendo suficiente, porque nunca é..., suficiente.

Devíamos ter-nos devorado quando tivemos oportunidade, não isto, aniquilados no vazio das essências postas a nu, despidas, sem identidade. O que eu não dava para que me tivesses engolido quando deixei os meus braços e pernas ao desvario.

Come-me agora, penso, numa réstia de esperança,

Não te queres atirar lá de cima comigo? Voarmos até deixarmos de sentir o nosso peso?

Vá lá...caminha comigo só mais um pouco, anula-me a vontade de ser ingénua.

Estou farta de pensar sozinha...

Quem sabe o dia de amanhã traga algo de novo, arrebatador, não isto.

Sei que estás aí, sai lá do espelho e encontra-me de uma vez."

Nuno Almeida, Retratos, 2009


4 comentar

Click here for comentar
08 julho, 2009 10:01 ×

os cenários continuam soltos ... a vida é feita de pequenos espelhos , e cenas que montamos á nossa volta
são eles , os cenários , que nos permitem valorizar o que vamos construindo ... e vale a pena ver, que amanhã haverá algo de novo
;)

Reply
avatar
Anna Molly
admin
08 julho, 2009 12:07 ×

Tão bonito, e por vezes familiar. (:

Somos tão frágeis.

Obrigada por escreveres "despertares de sentimentos"

(por vezes, ausência de actos é fatalmente ensurdecedora)

Reply
avatar
08 julho, 2009 13:24 ×

Está muito bonito realmente. :)

**

Reply
avatar
Azelpds
admin
08 julho, 2009 15:29 ×

Obrigado a todas.:)

E sim, por muito frágeis que possamos ser, amanhã irá trazer sempre algo de novo. Acho...

Os cenários continuam muito soltos de facto, até me fazem doer a cabeça por vezes.

thx again. :)

Reply
avatar