02-03: sessão imprevista = recriação "live" da filosofia Cellophane actual no Bar do Bairro

Devido a motivos de doença da pessoa que iria fazer esta noite no BB, calhou a mim a tarefa de a substituir, e pelos vistos anda mesmo por aí um surto que todas as semanas deixa alguém doente e com febre.

Por um lado a situação foi boa porque pude testar novamente certas ideias apoiadas na quantidade enorme de som "novo" que tenho arranjado e que ainda não conheço totalmente, mas por outro é sempre chato para a pessoa que ficou doente, tal como me aconteceu o mês passado na noite do projecto Renegades of Noize.

Indo além dessa questão, e visto que no Bar do Bairro tenho gostado, e preferido ultimamente, fazer noites improvisadas em conjunto com outras pessoas, seria sempre curioso a nível pessoal, ver como eu estaria actualmente em termos de voltar a fazer só eu lá uma dessas noites onde o improviso e boa disposição é que mandam sempre. Sinceramente senti que o resultado foi algo brutal, a mistura de sonoridades é cada vez maior e sinto que a minha maneira de lidar com isso de modo a que o todo no final se sinta meio coeso está melhor, em grande parte devido às experiências que se têm feito no Dub onde se tem levado ao extremo isto de testar ideias e deixarmo-nos ir.

Penso que a maior parte das pessoas que estiveram no BB esta noite gostaram do som, ou pelo menos pareceu-me e senti isso, mesmo com algumas pessoas a esticarem por vezes certos limites ao não saberem aceitar certas faixas que se passou a pedido de outras, querendo só ouvir o que gostam elas e gozando com o resto. Mais uma vez fica aqui a dica: respeitar o gosto dos outros é bonito e recomenda-se. Mesmo assim, meti alguns pedidos dessas mesmas pessoas, o que mostra que tento sempre continuar bem disposto e não demonstrar muito na hora quando algo me chateia verdadeiramente.
Ouve um ou outro pedido que além de não ter lá o CD disse que não passava anyway, como os ultra sobrevalorizados e muito na moda The Klaxons, porque preferia meter outras coisas e porque sinto que estão a querer arranjar pedestais onde não existem, correndo-se o risco de queimar rapidamente certas bandas e albuns no processo, como os Franz Ferdinand só para citar um exemplo que a nível geral se nota ter quase desaparecido tão rapidamente como apareceu.

Irónico ver depois essas mesmas pessoas que pediram essas coisas a cantar depois a All Apologies de Nirvana, a vibrar com a Them Bones de Alice in Chains e com a Bjork, porque não estavam à espera, curtiam bue alguns desses exemplos, tendo até havido conversas no sentido que era fixe porque certas cenas já não se ouvem quase em lado nenhum, pelo menos em Lisboa. See, foi assim tão mau não se passar Klaxons e certas cenas? :)
Obrigado mais uma vez a todas as pessoas que foram ao BB nesta Sexta-Feira imprevista e ao pessoal da casa pelo contínuo apoio e voto de confiança em mim, e ficam também aqui as melhoras ao tal rapaz/DJ que não pode lá estar nesta noite.

2 comentar

Click here for comentar
Extravaganza
admin
04 março, 2007 21:47 ×

Muito bem, sô Ze! Pena não ter podido aparecer, mas estou certa que deste cabo deles!! :)

Livra-te de passar klaxons...

Reply
avatar
Azelpds
admin
05 março, 2007 01:22 ×

sô Ze? lol

De resto, tendo em conta a minha paranoia de equilibrio nas malas de CDs, para entrar algo lá tem de sair algo, como tal os meus critérios pessoais são algo exigentes.

Um deles tão simples como: *o que é que cena x pode acrescentar mais a uma noite em relação a cena y que já tenho na mala?* E yep, Klaxons é uma delas, tal como invés de passar She Wants Revenge passo antes Bauhaus, Virgin Prunes Love & Rockets ou wtv, e por aí adiante.

Há cenas novas em conjunto com outras mais antigas que acrescentam momentos bue especiais e derivados nas noites pra mim, enquanto outras entram-me por um ouvido e saiem por outro.

No fundo é tudo uma questão de gostos pessoais. :)

Reply
avatar